Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp

Condiloma acuminado (Papilomavírus Humano – HPV)


Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

20 setembro, 2022 |

| 4 min. de leitura

As verrugas genitais são lesões benignas causadas pelo HPV e que podem ser tratadas com Laser

Condiloma acuminado é o nome dado às lesões verrucosas causadas pelo HPV (Papilomavírus humano), que são popularmente chamadas “crista de galo”. Essas verrugas costumam ser benignas, com baixo risco de evoluir para câncer, e podem ser únicas ou múltiplas, sendo geralmente indolores. Os locais mais acometidos por esse tipo de condiloma são as regiões genitais, anal e oral, visto que este é um tipo de Infecção Sexualmente Transmissível (IST).

Quando essas lesões surgem, é fundamental buscar atendimento médico para remover as verrugas. É preciso saber, também, que tanto o homem quanto a mulher que estão com condiloma acuminado não devem ter relações sexuais até finalizar o tratamento, visto que nessa fase a transmissão do vírus é muito alta.

Diferença entre condiloma acuminado e condiloma plano

A diferença entre o condiloma acuminado e o condiloma plano está no aspecto da lesão e na etiologia da doença. Como vimos, as lesões verrucosas são específicas do HPV – Papilomavírus humano, principalmente os dos tipos 6 e 11, considerados de baixo risco para câncer.

Já o condiloma plano é caracterizado por uma lesão eritematosa e sem relevo. Ou seja, são manchas vermelhas ou rosadas que aparecem mais especificamente na região da boca, palma da mão e sola de pé, e que podem indicar sífilis secundária, uma IST causada pela bactéria Treponema pallidum.

Como diagnosticar o condiloma acuminado?

O diagnóstico do condiloma acuminado é feito a partir da identificação de verrugas nas áreas genitais, que podem ser notadas pela própria paciente ou por um ginecologista durante o exame de rotina. Na presença dessas lesões, é imprescindível procurar atendimento médico para iniciar uma investigação de HPV – Papilomavírus humano e tratar as verrugas.

Após identificar e localizar o condiloma acuminado na paciente, pode ser necessário realizar exames como vulvoscopia, colposcopia, peniscopia no homem, anuscopia ou até mesmo uma biópsia. Esta investigação tem o objetivo de avaliar melhor as lesões e procurar por lesões internas associadas (como, por exemplo, no colo do útero), sendo que em alguns casos pode-se fazer um PCR para identificar o tipo de HPV.

Nos pacientes com diagnóstico de Papilomavírus humano, é sempre importante investigar também a presença de outras ISTs que podem estar associadas, como clamídia, hepatite B, sífilis, HIV e tricomoníase. Por fim, deve-se procurar verrugas também no parceiro sexual e tratá-lo, a fim de evitar recidivas.

Prevenção

A prevenção contra o condiloma acuminado inclui as vacinas presentes no Programa Nacional de Imunização (PNI) e aspectos comportamentais.  Pelo SUS, estão disponíveis a vacina para essas faixas etárias:

  • Vacinação para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos;
  • Vacinação para homens até 26 anos e mulheres até 45 anos com HIV positivo, transplantados ou que sejam pacientes oncológicos.

Na rede privada, não existe limite máximo de idade para vacinação. Além disso, é importante:

  • Uso de preservativos durante as relações sexuais;
  • Acompanhamento periódico com ginecologista para realização de Papanicolau (exame preventivo do colo do útero / citologia oncótica), que ajuda a identificar lesões precursoras de câncer de colo de útero ainda que não permita diagnosticar presença do HPV.

Tratamento para o condiloma acuminado

O tratamento para o condiloma acuminado pode ser medicamentoso ou cirúrgico, e a escolha do caminho a ser seguido deve se basear na individualidade da paciente e nas características da lesão. As opções disponíveis atualmente são:

  • Aplicação tópica de medicamentos como Imiquimod;
  • Vaporização com Laser CO2;
  • Aplicação tópica de ácido tricloroacético;
  • Procedimentos e Cirurgias de Alta Frequência (CAF), como excisão eletrocirúrgica por alça) e cauterização;

Dentre as opções disponíveis, o tratamento de vaporização com laser de CO2 associado ao uso de imiquimod para o condiloma acuminado é o mais indicado. A sessão de laser pode ser realizado ambulatorialmente e é o tratamento mais indicado para o condiloma, pois apresenta a taxa mais alta de eficácia (92,3%) enquanto as outras opções de tratamento apresentam uma taxa de eficácia que varia de 40 a 60%; além de um tempo menor para resolução das lesões (na maioria das vezes em 1 ou 2  sessões tem-se uma destruição completa das lesões) e menor chance de recidiva (retorno das lesões).

Já o objetivo do imiquimod em associação ao tratamento com laser é melhorar a imunidade local diminuindo a chance de surgimento de novas lesões e potencializando o efeito do tratamento com laser.

Entre em contato agora mesmo com a Dra. Maria Emilia e agende já sua consulta.

Fontes:

Ministério da Saúde;

Febrasgo – Federação Brasileira Ginecologia e Obstetrícia;

Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Quero que você se sinta confortável.

QUERO MARCAR UMA CONSULTA